Notícia

PPM 2019 anuncia o primeiro painel confirmado com ilustres da música brasileira

 

Na tarde de terça feira, iniciamos o compartilhamento de nossa grade de atrações escolhidas para enriquecer a programação desta edição. Como afirmamos ao divulgar o show de Jaques Morelenbaum Trio, as cores do PPM 2019 iluminarão os caminhos dos finalistas, parceiros e colaboradores desta edição que ao lado do público, poderão demarcar suas rotas e presenças nas diversas atividades previstas, a partir das identidades visuais das peças que divulgaremos e que estarão vinculadas aos espaços parceiros, visando a harmonia e sincronia diante de tantas opções bacanas disponíveis.

Ante ontem, foi a vez dos 5 pocket shows confirmados que acontecerão nas instalações do Shopping Pier 21, nosso parceiro institucional que pela segunda vez abrirá as portas para os painéis, workshows e pocket shows.

Ontem, orgulhosamente, anunciamos as duas primeiras oficinas e os respectivos currículos dos responsáveis que marcarão presença nas instalações do Museu dos Correios em colaboração com o projeto Acontece no Museu, sexta, 1º de novembro de 2019, entre 14h e 18h. 

 Dito isso, orgulhosamente, anunciamos os primeiros painelistas que comporão a nossa mesa de debates que acontecerá de 1º a 3 de novembro de 2019, na praça Central do Shopping Pier 21.

Sejam bem vindos: Roberto Menescal [instrumentista, autor, produtor], Jaques Morelenbaum [músico, produtor e arranjador] e João Magalhães [ex -Diretor da Orquestra Sinfônica Petrobrás]. Como mediador, escolhemos Wagner Palazzi [coordenador do selo SESC].

Juntos, no dia 3 de novembro às debaterão sobre o tema/slogan da 5ª edição do Prêmio Profissionais da Música, qual seja: “do clássico o popular, 100 anos de música brasileira”

Menescal, é um dos fundadores do movimento bossa nova.

Participava das reuniões no apartamento da cantora Nara Leão, na Avenida Atlântica, em Copacabana, onde o movimento começou. Menescal é um dos mais importantes compositores da bossa nova, ao lado de Tom JobimCarlos Lyra e Vinícius de Moraes. Criou canções que hoje são consideradas hinos do movimento e da própria música popular, como O BarquinhoVocêNós e o marAh se eu pudesseRio, entre outras. Ronaldo Bôscoli é um dos parceiros mais constantes.

Como músico, acompanhou em apresentações e gravações, Nara Leão, Wanda SáSylvia TellesLúcio AlvesMaysaAracy de AlmeidaDorival CaymmiElis Regina, entre outros, sendo dele o arranjo para a canção “Bala com Bala” de João Bosco e Aldir Blanc, interpretado por Elis em 1972. A cantora Zizi Possi deve a Menescal a oportunidade de gravar o primeiro disco da carreira, em 1978 intitulado Flor do Mal.

Tocou ao lados dos músicos Luiz EçaLuiz Carlos VinhasBebeto CastilhoHélcio MilitoEumir DeodatoUgo MarottaSergio BarrozoOscar Castro Neves, João Palma, Edison Machado, Wilson das Neves, Antônio Adolfo, Hermes Contesini, José Roberto BertramiJoão Donato e tantos outros.

Além de músico, é produtor musical, tendo iniciado esse trabalho em 1964, com o LP Vagamente, disco de estreia da cantora Wanda Sá. Tempos depois, passou a produzir discos para a gravadora Polygram (atualmente Universal Music), onde também foi diretor artístico entre 1970 e 1986. Como diretor artístico da gravadora, foi o responsável pela produção de Loki?, álbum do ex-Mutante Arnaldo Baptista lançado em 1974 e considerado referência do rock brasileiro e MPB.

Também compôs a trilha sonora dos filmes Joana Francesa e Bye Bye Brasil, ambos de Cacá Diegues, e em parceria com Chico Buarque.

Atualmente, além de tocar violão e guitarra, dirige um selo musical e gerencia novos grupos e projetos musicais, como o Bossacucanova. O último trabalho foi produzir um documentário sobre bossa nova, intitulado Coisa mais linda, em 2005, com o velho amigo Carlos Lyra.

Produziu discos de artistas como Elis Regina, Nara Leão, Chico Buarque, Maysa, MPB-4Maria BethâniaLeila PinheiroCauby PeixotoOs CariocasLeny AndradeDanilo Caymmi, Wanda Sá, Márcia Tauil, além da aclamada série “Aquarela Brasileira”, de Emílio Santiago, Xuxa, entre outros.

Jaques, Nasceu no Rio de Janeiro, Brasil. e iniciou sua carreira musical como integrante do grupo A Barca do Sol.Participou como violoncelista de produções fonográficas de Antonio Carlos Jobim, Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil, Maria Bethania, Chico Buarque e Milton Nascimento, entre outros, totalizando até hoje atuações em mais de 600 álbuns.

João, com mais de 10 anos no mercado de entretenimento e música trabalhando na área de criação de projetos e conteúdo, marketing e  gestão artística, João Magalhães começou sua carreira na TV Globo e já trabalhou com artistas como Banda do Mar, Orquestra Petrobras Sinfônica, Marcelo Camelo, Gabriel Pensador e outros mais.  Seus projetos com a Petrobras Sinfônica ganharam prêmios como o PPM (Prêmio Profissionais da Música) em 2016 e 2018 e o Prêmio da Música Brasileira em 2017 na categoria Melhor Disco Infantil com o álbum “Os Saltimbancos Sinfônico”. Com a banda Catch Side (Deckdisc), angariou indicações para o Meus Prêmios Nick (Canal Nickelodeon) e Capricho Awards (Revista Capricho). Além do trabalho atual dentro de orquestras, é co-fundador e responsável pela área de projetos e marketing da Agência Olga, criadora do Festival Polifonia, no Rio de Janeiro.

Wagner, coordenador do Selo Sesc é graduado em Relações Públicas, e pós-graduado em Gestão de Bens Culturais.

 Ressaltamos, que com essa divulgação, ainda não esgotamos o anúncio de todos os painéis escolhidos para se apresentarem nesta edição.

Grandes alegrias nos aguardam, fortes emoções se aproximam e não tenham dúvida: sairemos de Brasília mais ricos a partir do intercâmbio de experiências, realizações e ações felizes dessa classe que representa o Brasil como poucos.

 

PPM 2019, do clássico ao popular, 100 anos de música brasileira

 

Realização: @grvproducoes

Parceiro Institucional: @shoppingpier21  Promoção: @alphafm @alphafmbrasilia

Voltar ao topo