Júri

ROBERTO MENESCAL | @robertomenescaloficial

Instrumentista, compositor, cantor e produtor, Menescal é um dos pioneiros da bossa nova nos anos 60. Reconhecido por sua importância e contribuição para a música carrega consigo o Prêmio à Excelência Musical entregue pela Academia do Grammy Latino.

Destacou-se como compositor e foi, ao lado de nomes como Carlos Lyra, Tom Jobim e Ronaldo Bôscoli, um dos precursores da bossa nova. Com suas composições, Menescal ajudou a levantar a bandeira do Brasil pelo mundo. Participou do famoso Concerto de Bossa Nova no Carnegie Hall, em Nova York, ao lado de nomes como Tom Jobim, Carlos Lyra, João Gilberto marcando a entrada oficial da bossa nova no exterior. Em 1968, se apresentou com Elis Regina em Cannes no Mercado Internacional do Disco e Editores Musicais (Midem).

Com o grupo Bossacucanova, celebrando o lançamento do “Bossacucanova meets Menescal”, fez turnê pelos Estados Unidos, Europa e Japão para públicos que chegaram a 200 mil pessoas. Também esteve em Cingapura, Austrália, Rússia, Paris, Londres, Japão, Argentina, Espanha, Alemanha e muitos outros países. Lançou o DVD United Kingdom of Ipanema, com Andy Summers, do lendário The Police, e gravou com nomes como Paul Winter, Toots Thielemans e Herbie Mann.

Menescal foi também diretor artístico da Polygram/Philips durante 15 anos, período que lançou e trabalhou com artistas de todas as vertentes da MPB como Fábio Junior, Alcione, Emílio Santiago, Fagner, Maria Betânia, Gal Costa e Fagner. No final dos anos 80, fundou um selo próprio, a Albatroz Discos, onde produziu desde então álbuns para o mercado brasileiro e internacional.

Em 2018, foi o grande homenageado da 4ª edição do Prêmio Profissionais da Música.

 

PENA SCHMIDT | @penas.schmidt

Augusto José Botelho Schmidt, também conhecido como Pena Schmidt (Taubaté, SP, 1950), é um produtor musical, ex-executivo e diretor de gravadoras (esteve na Warner Music e é o responsável direto pelo surgimento dos Titãs, Ira!, Ultraje a Rigor, Magazine entre outros). Também foi proprietário do selo independente Tinitus, ex-presidente de Associação Brasileira da Música Independente (ABMI), diretor de palco e proprietário da empresa de produção musical StageBrainz, ex- superintendente do Auditório Ibirapuera. Atua na Vida_Boa, pesquisa, consultoria e curadoria musical.

Técnico em eletrônica, operou o primeiro sintetizador no Brasil, um ARP2500 no Estúdio Prova em 1972. Trabalhando com Cláudio César Dias Baptista, montou e operou o primeiro equipamento de som onde o técnico ficava numa mesa no centro da plateia, para Os Mutantes, em 1973. A partir desta experiencia como técnico de som, inicia uma época onde trabalhou nos principais eventos de música ao vivo, como Hollywood Rock, Festival de Águas Claras e especialmente no Free Jazz Festival, onde trabalhou em todas as edições como diretor de palco e diretor técnico.

Como produtor de discos, trabalhou para a Continental Discos, WEA, Som Livre e sua gravadora Tinitus. Produziu cerca de 50 discos com hits que ainda são tocados no rádio. Contatou e produziu artistas de longa carreira, como Titãs, Ultraje a Rigor, Ira!, Os Mulheres Negras.

MARINILDA BOULAY | @marinildaboulay

Formada pela ECA-USP/Sorbonne. Está à frente da Totem, empresa de produção cultural, e consultoria internacional. É representante do MIDEM no Brasil, Chile e Argentina (midem.com).

 

THOMAS ROTH | @thomasrothoficial

Produtor musical, compositor, músico, cantor, locutor, ator, apresentador e jurado de televisão. No começo dos anos 80 lançou diversos álbuns em dupla com Luiz Guedes. Autor de mais de 200 composições de sucesso nas vozes de Roupa Nova, Elis Regina, Claudia Leitte, Daniel, Fafá de Belém, Emílio Santiago, Beto Guedes, Flavio Venturini, entre muitos outros.

Participou de dezenas de comerciais, atuou em agência de publicidade, criou e produziu perto de 10.000 fonogramas publicitários. É ex presidente e diretor da Aprosom e da ABMI. Foi jurado dos programas “Ídolos”, “Astros”, “Qual o seu Talento?” e “Esse artista sou eu”, todos no SBT, de 2005 a 2014. Foi curador do e-Festival Samsung “versão 2014” e homenageado na 3ª edição do Prêmio Profissionais da Música em 2017.

 

FERNANDO ANITELLI | @fanitelli

Ator, instrumentista, compositor e responsável pela criação do projeto O Teatro Mágico, um projeto que mistura arte circense, cultura, poesia e discussões políticas, nas quais Fernando debate assuntos relacionados a temas como a importância da arte e da cultura independente, pluralidade e distribuição livre de conteúdo. Atualmente mantém ainda um trabalho solo chamado “As Claves da Gaveta”, se apresenta em formatos de voz e violão, dá palestras e oficinas relacionados à música e educação.

Anitelli obteve experiências como ator, trabalhando com diretores como Oswaldo Montenegro, Ismael Araújo e Caio Andrade, e outros tipos de oficinas e conhecimento que lhe renderam noções básicas de expressão corporal, domínio de palco e outros elementos vindos da escola do teatro, indispensáveis em seus shows.

Em 2011 lançou seu primeiro trabalho solo, As Claves da Gaveta com antigas composições suas. Este CD possui a licença Creative Commons, que permite que internautas obtenham as músicas por download digital gratuitamente. Anitelli é um defensor desta forma de licenciamento e distribuição de conteúdos musicais.

Em 2014, participa do álbum Sambô Em Estúdio e Em Cores, da banda Sambô, na faixa “Tempo Perdido”. Em 2015, participou da canção “Trono de Estudar”, composta por Dani Black em apoio aos estudantes que se articularam contra o projeto de reorganização escolar do governo estadual de São Paulo. A faixa teve a participação de outros 17 artistas brasileiros como Chico Buarque, Arnaldo Antunes, Dado Villa-Lobos, Paulo Miklos, Tiago Iorc, Lucas Silveira e Zélia Duncan.

 

BEATRIZ MAGALHÃES CASTRO | @mcbeatrizbr

Nasceu no Rio de Janeiro mas começou a estudar flauta na Escola de Música de Brasília e mais tarde com Odette Ernest Dias, uma das mais conceituadas artistas em atuação no continente americano. Depois, conseguiu a rara façanha de ser admitida no exigente Conservatório Nacional Superior de Música de Paris onde estudou com Jean Pierre Rampal, Michel Dubost e Maurice Bourgue, tendo conquistado os primeiros prêmios em flauta e música de Câmera.

Tornou-se doutora em flauta após o curso na Juilliard School de Nova York. Fez turnês pela Europa, América Latina, Estados Unidos e Canadá, tendo se apresentado em concerto com Jean Pierre Rampal, Julius Baker e Eugenia Zukerman no Carnegie Hall de Nova York. Deu recitais na Holanda, no Centre Georges Pompidou em Paris, gravou para a ORTF, para a WNCN em Nova York, para a TV Sueca em Stockholmo e para a TVE-Brasil. É detentora do Prêmio Especial do Concurso Valentino Bucchi, Roma Itália. Atualmente leciona flauta na Universidade de Brasília.

 

MANNO GOÉS | @mannogoes

Compositor, escritor, cantor e baixista brasileiro, começou a vida artística tocando em barzinho, em Salvador, aos 18 anos. Fez faculdade de jornalismo e publicidade e começou a tocar profissionalmente como baixista na banda de Jauperi, em 1992. Em novembro de 1993 fundou o Jheremmias Não Bate Corner. Em Junho de 1997 saiu do Jheremmias Não bate Corner e fundou o Jammil e Uma Noites, onde é o compositor principal da banda.

Compôs os grandes sucessos do Jammil e Uma Noites além de ter composto para diversos artistas do país, como: Daniela Mercury, Netinho, Ricardo Chaves, Biquini Cavadão, Asa de Águia, Orlando Morais, Claudia Leitte e Chiclete com Banana.

Em junho de 2009 viajou para Los Angeles, para gravação de um cd solo, como projeto paralelo, com músicas pop rock. Gravou 12 músicas inéditas, todas de sua própria autoria, teve a companhia do baterista John Jr Robinson, que já tocou com Michael Jackson, Stevie Wonder, Quincy Jones, Lionel Ritchie, entre outros e do baixista Stebanhouse, que toca com James Taylor e Sérgio Mendes. As outras quatro faixas foram gravadas no Rio de Janeiro, com participação de amigos pessoais do baixista, como Coelho (guitarrista do Biquini Cavadão), Yves Passrel (guitarrista do Capital Inicial), George Israel (saxofonista do Kid Abelha), João Fera (tecladista do Paralamas do Sucesso), Jaques Morelenbaum, dentre outros.

O seu CD solo se chamou “E Assim os Dias Vão” e saiu pela Som Livre, atingindo a marca de dez mil cópias vendidas. Atualmente assina uma coluna semanal de esportes no jornal A Tarde, em Salvador e faz parte da diretoria da UBC.

 

BRUNO BOULAY

Diretor-fundador de TOTEM Records, um dos primeiros selos independentes de “World Music” na França no final dos anos 80, dedicado ao desenvolvimento de produções artísticas ao nível internacional. Após ter lançado vários artistas africanos, o selo TOTEM Records se dedicou, em meados dos anos 90, a promoção na França e Europa de artistas da nova cena brasileira como Lenine, Chico César, Fernanda Abreu, Daúde, Karnak, entre outros.

Colaborou também no empresariado internacional de artistas como Johnny Clegg, Geoffrey Oryema, Richard Bona e Lokua Kanza.

Foi coordenador de diversos projetos discográficos e de espetáculos com a participação de artistas brasileiros e franceses, como foi o caso na programação do Heineken Festival em 1997, 1998 e 2000 no Brasil, e do Festival Latitude Villette-Brésil em 2000 na França.

Entre 2000 e 2015, criou e dirigiu o Bureau Export de la Musique Française no Brasil, o “bureauexport São Paulo”, sendo encarregado de missão na aérea da música da Embaixada da França no Brasil entre 2004 e 2009, e “Expert Industrias Culturais” da Embaixada da França junto ao SESC São Paulo entre 2010 e 2015. Desde 2016 é consultor em Industrias Culturais na Totem Musicais, representante do MIDEM (França) no Brasil, Argentina e Chile.

 

VALÉRIA BECKER | @valbcker

 

Jornalista, produtora e editora de conteúdo web, compositora e DJ. Em 2008, criou a web-Rádio Graviola, pela qual ganhou 3 edições do Prêmio Profissionais da Música (2016, 2017 e 2018), na categoria “Melhor Webrádio”. O objetivo do projeto é divulgar artistas independentes   brasileiros, missão à qual Val se dedica há 10 anos. Desde 2015, Val produz o programa Mundo Independente, pelo qual já passaram mais de 1.000 bandas de rock autoral de TODOS os estados brasileiros.

Em 2016, organizou e lançou uma coletânea em formato físico, com 30 artistas independentes, pelo qual foi indicada ao Prêmio Especial do Júri, da Associação Paulista dos Críticos de Arte de São Paulo (APCA).

Em 2018, foi selecionada para participar da residência artística  do projeto Arte Sônica Amplificada (ASA), do Oi Futuro  (BR), em parceria com o British Council (UK), voltado a mulheres que produzem arte sonora.

Atualmente, trabalha no desenvolvimento da sua nova plataforma, voltada para o seu trabalho autoral como produtora de podcasts.

 

GUILHERME SAMPAIO | @melhergui9

Bacharel em Informática, especialista em Gerência e Análise de Projetos e possui MBA em Marketing com foco em CRM e Marketing Digital, todos pela PUC-RJ.

Há mais de 15 anos no Mercado Digital, criou sua empresa em 2009, a ARQABS – Arquitetura Abstrata, e passou a prestar consultoria sobre Novos Negócios Digitais para empresas como Sephora, Richards e Reserva.

Em 2011, criou sua primeira plataforma digital de música, a Zamus, e hoje já possui diversas outras soluções para o mercado da música que vão de eventos a monitoramento de redes sociais e análise de mercado, como a Ouça.Lá, a Agendamus, a ZAwards e a Smart Rights.

Além disso, conduz pesquisas para estudo e fomento do Mercado da Música em parceria com o Instituto Gênesis da PUC-RJ e com o projeto Rethink Music da Berklee College of Music.

 

JAMES LIMA | @jameslimasp

Natural de São Paulo, é jornalista, curador e produtor cultural. Tem mais de 25 anos de experiência no mercado fonográfico, especialista em conteúdo audiovisual e distribuição digital, hoje atuando na Ditto Music Inglesa.

Foi dos precursores no desenvolvimento do mercado digital brasileiro, onde atuou ativamente na democratização das plataformas de distribuição globais, e ao acesso aos selos, gravadoras e artistas independentes neste mercado sem atravessadores.

É diretor executivo da Giro8 Produtora, especializada em curadoria, consultoria e produção de eventos no espaço urbano. É também co-criador do projeto Artistas na Rua e ativista no MAR_Movimento dos Artistas de Rua.

Além disso, é diretor executivo da Anonimato Music Group, empresa que oferece serviços e soluções para selos e artistas na busca dos melhores resultados em vendas e engajamento no mercado digital.

MARIANA GUEL | @marinaguelll

Nascida em meio concreto e cerrado de Brasília, a produtora cultural, publicitaria Mariana Guel, apresenta um currículo na área cultural com mais de 15 anos de estrada, onde atuou como dona da produtora de artistas, shows, assessoria de imprensa, peças teatrais e cinema, com sua antiga agência M3 Produtora.

Atualmente vem desenvolvendo um trabalho como cantora com seu projeto Selva e como produtora na cena musical mais alternativa, trazendo artistas de fora de Brasília para realizar intercâmbio com os artistas da cidade, além de ser coordenadora de comunicação e eventos culturais do Shopping Center, Pier 21.

MARCUS LIGOCKI JÚNIOR | @ligocki

Formado em Comunicação Social pela Universidade de Brasília, com especialização em Film & Television Business pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, Ligocki é o sócio fundador da produtora brasiliense Ligocki Entretenimento, produtor de seis longas metragens dirigidos por diretores como Vladimir Carvalho, Renato Barbieri e Iberê Carvalho, e diretor do longa metragem de ficção “Uma Loucura de Mulher”.

Em sua atuação para o desenvolvimento do setor audiovisual brasileiro, coordenou a criação do curso de graduação em Cinema e Mídias Digitais do IESB, em Brasília, foi consultor Sênior das duas edições do projeto “Brasília Cinematográfica” do Ministério do Turismo, conselheiro da “incubadora de empresas culturais” do CDT – UnB, membro do Comitê Gestor do FSA – Fundo Setorial do Audiovisual e consultor de mercado da diretoria da CONNE  – Conexão Audiovisual Centro-Oeste, Norte e Nordeste.  Foi diretor da APROCINE – Associação dos Produtores e Realizadores de Longas Metragens do Distrito Federal , representante regional da BRAVI – Associação Brasileira de Produtores Independentes de TV.

 

DANIEL NEVES | @daniel.a.neves

 

Presidente da ANAFIMA – Associação Nacional da Indústria da Música, entidade responsável pela FREMUSICA (Frente Parlamentar em Defesa da Indústria da Música), Daniel Neves é também idealizador do site e revista Música & Mercado e da feira Music Show EXP, a nova feira da música no Brasil.

 

RENATA GOMES

Renata Gomes é publicitária, mestre em comunicação e atua há mais de uma década desenvolvendo estratégias de comunicação/marketing para marcas, startups e artistas do segmento musical. Também é docente universitária nas áreas de Comunicação, Marketing e Music Business, além de produtora/curadora de eventos de inovação, música e cultura.

 

JOSÉ CARLOS BARROSO | @zecarlosbarroso

É jornalista, poeta e autor do ZecaBlog, dedicado ao mundo da cultura e das artes. Formado em Comunicação pela Universidade de Brasília, trabalhou no Jornal de Brasília, Correio Braziliense e atualmente é assessor de Comunicação do Governo do Distrito Federal.

 

ENRICO DE PAOLI | @enricodepaoli

É engenheiro de música formado na Grove School of Music (Van Nuys, California) em Engenharia de Gravação e Música e no Musicians Institute of Technology (Hollywood, California) em Teclados e Programações.

Começou a carreira nos Estados Unidos, onde gravou com artistas como Ray Charles, Aaron Neville, e Alexander O’Neal, entre outros. Trabalhou com um dos maiores produtores fonográficos da história, Mr. Richard Perry (ex-presidente Warner Bros) e com Steve Lindsey. Ao retornar ao Brasil, gravou com o produtor Liminha discos de Cidade Negra e Daniela Mercury. No estúdio Nas Nuvens, onde manteve sua sala de Produção e Programação de Synths, gravou e programou Skank, Roberto e Erasmo, SongBook de Ary Barroso, entre outros…

Em 1996 gravou e mixou o CD Malasia, com o um dos mais elegantes e eternos nomes da música brasileira e universal: Djavan. Foi convidado a levar suas habilidades em mixagem para a Turnê Mundial Djavan Malasia, percorrendo todo o Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Estados Unidos, Canada, Inglaterra, França, Espanha, Portugal, Itália, Bélgica e Holanda.

Em 2001, foi premiado com o GRAMMY AWARD pelo disco do baixista americano Marcus Miller, por uma gravação que fez com Djavan no álbum M2 (M Squared).Residiu mais um ano na Califórnia, sendo representado pela maior agência de Engenheiros de Mixagem do mundo: a HitMixers, onde seu nome continua honrosamente listado até a presente data. Em 2005, criou o Incrível Mundo das Mixes e Masters, studio particular onde mixa e masteriza CD’s (stereo), DVD’s (surround) e músicas avulsas (singles) para distribuição online, para artistas de gravadora e independentes. Em 2007, Enrico masterizou o álbum Matizes de Djavan no Incrível Mundo e em 2010 foi engenheiro de gravação, mixagem e masterização do álbum Aria, do mesmo cantor. Com este último, Enrico ganhou seu segundo Grammy, em 2011.

Desde o ano 2000, Enrico é colunista da maior publicação de áudio e música do Brasil: a revista Áudio, Música & Tecnologia, assinando mensalmente na última página o Lugar da Verdade.

ALEC HAIAT | @alechaiat

Como a maior parte dos músicos entusiastas, Alec foi “contagiado” pela música logo cedo… Não demorou muito para que as aulas improvisadas no violão do irmão mais velho o levassem à guitarra e esta o conduzisse para sua primeira banda: “ A Gota Suspensa”.

O som experimental e irreverente desta banda fez com que nomes como Mariozinho Rocha e Billy (Blitz) a introduzissem dentro do cenário pop dos anos oitenta. Logo “A Gota Suspensa” viraria a banda “Metrô”, um verdadeiro fenômeno de público e crítica. Com o Metrô, Alec excursionou por todo o país e emplacou hits em todos os principais charts musicais.

O sucesso com a banda Metrô abriu caminho para que Alec também se consagrasse como músico profissional, tendo excursionado e gravado com nomes como Otto, Antônio Pinto, Kiko Zambianchi, Paulo Binga Checolli (Binga – SKowa e a Máfia).

Alec ainda foi responsável por consagrar as primeiras “Jams” paulistas, encontros lendários de músicos que aconteciam nas mais badaladas casas de shows da cidade (Blem Blem, Na Matta, Glitter e Urbano) e que serviam como verdadeiros laboratórios musicais de onde despontavam as novas bandas, novos sons do país.

 

Voltar ao topo